USINA PETRIBU SOMA SUA HISTÓRIA E TRADIÇÃO À SINTECSYS

A usina Petribu é a mais nova cliente da Sintecsys. A escolha da solução para a detecção de focos de incêndio na usina vem atrelada ao compromisso da empresa com o meio ambiente e ações sustentáveis, acompanhando a premissa descrita pela própria Petribu em “Família, Trabalho e Honra”.

A tradição vem vinculada com a história do Brasil no setor de açúcar e álcool, quando foram iniciadas as atividades do então engenho Petribu, na cidade de Igarassu, estado de Pernambuco.

São 290 anos de experiência até nossos dias atuais, tempo suficiente para muita história e frutos colhidos, com apreço à inovação e tecnologia como agregadores, o que muito honra a Sintecsys, sendo escolhida como parceira.

“Nós gostamos muito de tecnologia. O futuro da Petribu é agregar valor aos seus produtos. É buscar novos segmentos, novas tecnologias, novas formas de plantar cana, novas formas de semear”, ressalta Daniela Petribu Ribeiro Oriá, presidente da Usina Petribu, 8ª geração de descendentes no comando da produção, tornando-se a primeira mulher a comandar a empresa.

São mais de 31.000 hectares monitorados 24 horas por dia pela solução Sintecsys, além de uma reserva ambiental de 3 mil 450 hectares, que agora estão seguros e sob os olhos do dono.

Para a Sintecsys, a chegada da usina Petribu é muito importante e vem consolidar o compromisso da solução com a preservação patrimonial e ambiental através da solução desenvolvida exclusivamente para a detecção de focos de incêndio.

Bem-Vinda, Petribu. É uma honra fazer parte da história de vocês, que inovam desde 1729!

SINTECSYS É DESTAQUE COMO ALIADA NA PRESERVAÇÃO DE MATAS E NASCENTES EM PUBLICAÇÃO DO INSTITUTO CHICO MENDES, ICMBIO em Foco.

Entre 2014 e 2016, a unidade de conservação Arie Matão de Cosmópolis foi afetada por três incêndios, todos iniciados nos canaviais que a envolve, que ocasionaram a perda de mais de 5 mil mudas plantadas nas nascentes do Córrego da Ponte Funda, que corta a UC. Com o contrato firmado em abril com a Usina Ester, a UC se beneficiará da solução na detecção de incêndios na unidade. Marcia Goncalves Rodrigues, chefe da Arie, explica que o Sistema de Monitoramento de Incêndios funciona 24 horas. “Assim, além de não perdermos os trabalhos de restauração de nascentes e implantação dos corredores ecológicos, evitamos a liberação de 50 a 200 toneladas de monóxido de carbono por hectare queimado. Trata-se de uma agenda positiva com o agronegócio”, explica. “Estamos muito satisfeitos com o sistema. Agora nos sentimos mais seguros com relação ao risco de incêndio”.

Clique aqui e confira a matéria completa